Imigrantes participam da última edição do ano do Projeto Café com Segurança

Escrito por juliana.motta. 1 de dezembro de 2017, às 19:24

Cultura e Elos Internacionais foi o tema da última atividade de 2017 do Projeto de Extensão “Café com Segurança”. A atividade ocorreu no final de novembro e recebeu quatro convidados especiais: Mehmet Unal (Turquia), Valério Pietro Mondin (Itália), Samuel Lexina (Haiti) e Glória Elizabeth Riveros Fuentes Strapasson (Chile).

O “II Encontro Intercultural Internacional” foi promovido pelo curso técnico em Segurança do Trabalho do Instituto Federal Catarinense (IFC), Campus Videira, por meio do Projeto Café com Segurança. O objetivo é ampliar o horizonte de conhecimentos dos estudantes através do contato com culturas diferentes, buscando proporcionar momentos de troca de experiência e diálogos com pessoas de diversos lugares do mundo.

O Encontro Intercultural teve formato de “roda de conversa” e foi mediado pelo professor Leonardo Bridi, que a cada rodada elaborava perguntas aos convidados. A conversa buscou conhecer o contexto da vinda dos imigrantes para o Brasil e desvendar os aspectos culturais, costumes e tradições que diferenciam cada país. Cada imigrante contou um pouco sobre sua história de vida e respondeu dúvidas da plateia, que foi composta por estudantes, servidores e comunidade em geral.

Vindo da Itália com esperança de dias melhores, Valério Pietro Mondin saiu de seu país de origem ainda criança em uma viagem que durou 23 dias de navio. O contexto que trouxe sua família ao Brasil foi a situação da Itália durante a 2ª Guerra Mundial, em que os horrores da guerra obrigaram milhares de italianos a buscar refúgio em outros países. “Lembro de nossa chegada no Rio de Janeiro, quando meu padrinho viu farinha de mandioca e comeu achando que era queijo ralado”, divertiu-se recordando dos primeiros momentos no Brasil. Outra lembrança marcante para ele foram as dificuldades de adaptação, especialmente a saudade dos familiares que ficaram na Itália.

O haitiano Samuel Lexina também deixou seu país de origem em condições muito difíceis. Em 2010 o Haiti enfrentou um terremoto que matou mais de 300 mil pessoas e deixou milhões feridos ou desabrigados. Como o país já vinha de um contexto de mazelas sociais e políticas a vida acabou ficando insustentável por lá. “A vida ficou difícil para todos. Eu dormi na rua, pedi comida na rua e fiquei sem saber o que fazer”, conta.

Atualmente Samuel é aluno do IFC no curso de Segurança do Trabalho e está muito feliz com o acolhimento que encontrou aqui. “Vocês são um povo muito especial”, repetia ele sem parar. O haitiano diz que está muito grato por toda ajuda que recebeu no Brasil para fazer documentos, encontrar trabalho, casa e escola. “Parabéns para vocês e que Deus os abençoe”, agradeceu.

Já a história de Mehmet Unal com o Brasil não tem nada a ver com guerra ou fome. Ele veio movido pelo amor à sua esposa. Ela trabalhava no Canadá e eles se conheceram pela internet. Eles consideraram que, em função da cultura, a adaptação da esposa seria muito difícil na Turquia e, por isso, escolheram o Brasil. “Quando você muda de país você fecha um livro e abre uma nova história, uma nova página. Meus primeiros dias no Brasil foram pesados em função da saudade da família, mas o tempo cura tudo e hoje estou muito feliz aqui”, conta Mehmet, que foi proprietário de uma padaria em Fraiburgo e hoje é vendedor de frutas e hortaliças.

O entusiamo com a Língua Portuguesa foi o que trouxe a professora de Espanhol do IFC Videira, Glória Strapasson, para o Brasil. Há 23 anos ele deixou o Chile e veio para o Brasil movida pelo interesse em novas culturas e no aprendizado da Língua Portuguesa. Glória nasceu no Sul do Chile (Conceição) e antes de vir para cá estudou em Santiago e formou-se em Pedagogia e Letras/Francês. Ao chegar no Brasil o caminho natural foi dar aulas de Espanhol, sendo que esta é sua profissão desde então. Glória conta que se naturalizou brasileira e gosta muito do país que escolheu para viver e formar sua família.

Café com Segurança – Perspectivas para 2018

A coordenação do Projeto informa que após as férias escolares o Café com Segurança retornará em 2018 a todo vapor! Alguns temas e participantes já estão confirmados, sendo que as datas dos encontros serão divulgadas posteriormente. Confira e participe!

– Keila Rausch Pereira – Bruxismo e implicações à saúde;

– Mey Rose Rink – Nanotecnologia e possíveis impactos à saúde dos trabalhadores e ao meio ambiente;

– Vanessa Ludka – Fome na região do Contestado.

*Texto e fotos: Juliana Motta/CECOM Videira.

Café Com Segurança – Imigrantes

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar