Técnico em Eletroeletrônica

Sobre o curso

Perfil do curso

O Técnico em Eletroeletrônica é o profissional que poderá planejar, executar e avaliar a implementação de projetos e a manutenção de sistemas de eletroeletrônicos de operação de máquinas elétricas, distribuição de energia elétrica, sistemas de potência, instalações elétricas residenciais, prediais e industriais, sistemas de comunicação, instrumentação, informática e controle de automação.
Prestar assistência técnica, desenvolver, implantar e manter sistemas de produção automatizados, envolvendo controles numéricos, controladores lógicos programáveis, microprocessadores e controladores eletrônicos em geral.

Atuação

Ao término do curso o Técnico em Eletroeletrônica poderá liderar ou compor equipes de trabalho em: indústrias, centros de pesquisas, empresas de projetos elétricos, de manutenção, de instalação e montagem, concessionárias de energia elétrica e de telefonia, indústrias eletroeletrônicas, hospitais, empresas de informática e de telecomunicações, além de estar apto para desenvolver projetos e/ou negócio próprio.

 

Porque Devo Fazer o Curso

Se você deseja se qualificar profissionalmente, obter educação formal técnica de qualidade, desfrutar de excelentes laboratórios e contar com uma equipe de profissionais docentes e técnicos de qualidade, aqui é seu lugar. Apesar de recente o IFC e o curso técnico de eletroeletrônica conta com um quadro de professores diversificado e de qualidade, além de laboratórios diversos abrangendo todas as áreas do curso.

Laboratório de Instalações Elétricas

Soldagem de Placa de Circuito Impresso

Turma de Eletroeletrônica em Aula Prática

 

Outras Informações Importantes

Forma de Ingresso:

Exame de Classificação do IFC, ofertado de acordo com o calendário acadêmico da instituição. Para fazer sua inscrição Clique Aqui.

Quantidade de Vagas (por turma):

60 vagas (duas turmas de 30 cada).

Modalidades:

Integrado ao Ensino Médio, onde além da formação técnica o aluno cursa as disciplinas normais do ensino médio, como Português, Matemática, Física, Química, Biologia entre outras.

Subsequente ao Ensino Médio, onde o aluno cursa, durante quatro semestres, disciplinas técnicas das áreas elétrica e eletrônica, além de disciplinas de apoio como Matemática Básica e Metodologia e Língua Portuguesa. Na modalidade subsequente ao ensino médio o aluno opta entre o Curso Técnico em Eletrônica e o Curso Técnico em Eletrotécnica.

Carga Horária:

Integrado: 3586 horas (três anos) em 2014, incluindo 240 horas para o estágio supervisionado.

Período:

Integrado ao Ensino Médio: Integral (matutino e vespertino).

Subsequente ao Ensino Médio: Noturno (Curso Técnico em Eletrônica ou Curso Técnico em Eletrotécnica).

Pré-requisito:

Ensino Fundamental Completo (para Integrado ao Ensino Médio) ou Ensino Médio Completo (para Subsequente) e demais informações previstas no Edital.

 

Aluno do Curso

Turma no Laboratório de Informática

Rebobinagem de Motores

Professor com a Turma no Laboratório

 

Um Pouco Sobre a Concepção Filosófica do Curso

O novo contexto social, econômico, político, cultural e educacional e as exigências demandadas do mundo do trabalho têm levado as Instituições de Ensino Superior a iniciarem um processo de avaliação e reformulação das propostas pedagógicas dos seus cursos. Neste sentido o Ministério de Educação e Cultura juntamente com outros órgãos e Instituições Educacionais vem elaborando vários documentos normativos, para assegurar as mudanças e transformações necessárias para formação do novo cidadão.

Nessa perspectiva, destaca-se a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei Nº 9394/96, que prevê no seu Art. 2º, inciso I, que: “os estabelecimentos de ensino, respeitada as normas comuns e as dos seus sistemas de ensino, terão a incumbência de elaborar e executar sua proposta pedagógica”.

Concretizando a condição de autonomia pedagógica no seu art. 53, “assegura às instituições de ensino além de outras competências, autonomia para criar, organizar e extinguir cursos e programas de educação superior para fixar os currículos dos seus cursos e programas, observadas as diretrizes gerais pertinentes”. Assim, aponta para a construção de propostas integradoras e norteadoras de ações pedagógicas de flexibilização curricular.

Além da autonomia dada para o planejamento da graduação, a lei acima citada afirma a responsabilidade da instituição na formação do indivíduo. No art.43, inciso I, diz: “estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo”, além de documento de referência como o Plano Nacional de Educação (Lei nº 10.172 de 09/01/2001) e as Diretrizes Curriculares Nacionais específicas para cada área do conhecimento.

Os princípios Filosóficos e Pedagógicos do Curso, no contexto mais amplo da prática social, devem contemplar a concepção de homem, de mundo e de sociedade; compromisso social; defesa da escola pública, gratuita e de qualidade; valorização profissional; e defesa das políticas de inclusão social. E, no contexto da prática pedagógica, aponta-se, entre outros, para a superação do autoritarismo; o trabalho coletivo interdisciplinar; o currículo enquanto construção do conhecimento; reflexão sobre a prática e vivência da avaliação qualitativa e processual.

Nesse sentido, além de contemplar no conjunto de suas ações as inovações científicas e tecnológicas e as exigências do mundo do trabalho, devem expressar uma política educacional a partir de princípios filosóficos e políticos que possam contribuir para a consolidação da missão da Instituição, seu papel social e científico, de forma a constituir-se em compromisso coletivo para a sociedade. Para tanto, se faz necessário uma reflexão sobre a concepção da educação e sua relação entre a sociedade e o Instituto Federal Catarinense, fundamentado na concepção de homem a ser formado, na perspectiva do ser cidadão, consciente, crítico e transformador.

Compreendido também como um projeto educativo, a concepção do curso é fruto da sistematização de um processo de planejamento participativo, o qual deve estar permanentemente em processo de avaliação para que sejam atendidas as reais necessidades da sociedade.